Filme “As Boas Maneiras” é destaque no Festival de Cinema do Rio

03_tc_goodmanners_tiff16b_23976ips_1998x1080_170426_00186382j

O terror fantástico de Marco Dutra  Juliana Rojas “As Boas Maneiras” foi o grande vencedor da última edição do Festival de Cinema do Rio de Janeiro. Além de vencer na categoria de Melhor Filme, a produção conquistou prêmios nas categorias Melhor Atriz Coadjuvante, para Marjorie Estiano e Melhor Fotografia, para Rui Poças. 

No longa conhecemos a solitária enfermeira Clara (Isabél Zuaa) que é contratada para ser babá do futuro filho de Ana (Marjorie Estiano). Conforme a gravidez vai avançando, Ana começa a apresentar comportamentos cada vez mais estranhos e sinistros hábitos noturnos que afetam diretamente Clara.

Ainda não há previsão de quando o longa deve estrear nos cinemas do país, porém a expectativa é que chegue ainda em 2018.

O cinema de Marco Dutra e Juliana Rojas não é fácil, não é simples, e se manifesta com um profundo respeito pela linguagem. Sua gana de explorar as possibilidades da sétima arte é latente — o que por isso só já os torna dignos de todo crédito e atenção. (AdoroCinema)

Conforme matéria do jornal O Globo “a explicação para essa longa janela que separa a primeira projeção num festival de cinema e a estreia comercial reside na necessidade de “esquentar” a obra, como dizem os distribuidores. Ou seja, os filmes precisam de tempo para ganhar mais visibilidade em outros festivais mundo afora”.

Usamos os festivais nacionais e internacionais como termômetro. “As boas maneiras” foi premiado no Rio, ótimo, já conta a favor, porque ficou mais conhecido. Mas ele ainda terá exibições em outros festivais e em sessões especiais. A partir da recepção, bolamos a estratégia de lançamento”, explicou Elias Oliveira, relações públicas da Imovision, distribuidora responsável por “As boas maneiras” e “Praça Paris”, este último premiado com os troféus de direção (Lucia Murat) e atriz (Grasse Passô).

 
Confira os outros vencedores:

Première Brasil – ficção e documentário / longa e curta-metragem

Melhor Longa de Ficção – As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra

Melhor Longa de Documentário – Piripkura, de Mariana Oliva, Renata Terra e Bruno Jorge

Melhor Curta-Metragem – Borá, de Angelo Defanti (Menção Honrosa Curta-Metragem – Roberta Gretchen Coppola, por Vaca Profana)

Melhor Roteiro  – Lucas Paraizo, por Aos Teus Olhos

Melhor Direção de Ficção – Lúcia Murat, por Praça Paris

Melhor Direção de Documentário – Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D’Alva, por Slam: Voz de Levante

Melhor Atriz – Grace Passô, por Praça Paris

Melhor Ator – Daniel de Oliveira, por Aos Teus Olhos, e Murilo Benício, por O Animal Cordial

Melhor Atriz Coadjuvante – Marjorie Estiano, por As Boas Maneiras

Melhor Ator Coadjuvante – Marco Rica, por Aos Teus Olhos

Melhor Fotografia – Rui Poças, por As Boas Maneiras

Melhor Montagem – Caroline Leone, por Alguma Coisa Assim

Prêmio Especial do Júri – Slam: Voz de Levante

Novos Rumos

Melhor Filme – A Parte do Mundo que me Pertence, de Marcos Pimentel

Melhor Curta – Atrito, de Diego Lima

Prêmio Especial do Júri – Vende-se Esta Moto, de Marcus Faustini

Voto Popular

Melhor Longa de Ficção – Aos Teus Olhos, de Carolina Jabor

Melhor Longa de Documentário – Dedo na Ferida, de Silvio Tendler

Melhor Curta – Vaca Profana, de René Guerra

Prêmio da Crítica Fipresci

As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra

Prêmio Felix

Melhor Longa de Ficção – As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra

Melhor Longa de Documentário – Queercore: How to Punk a Revolution, de Yony Leyser

Melhor Curta – Sandra Chamando, de João Cândido Zacharias

Mostra Geração

Melhor Filme – Sobre Rodas, de Mauro D’Addio

O Júri da Mostra Geração ainda destacou duas menções honrosas: Historietas Assombradas, de Vitor-Hugo Borges, e Altas Expectativas, de Pedro Antonio Paes e Álvaro Campos.

 

Fonte: com informações do jornal O Globo e  A Gambiarra.

logo-prime