Prime Box Brazil premia produções do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

logo-prime-horizontal-chapado

Vencedores terão direito a contrato de licenciamento de dois anos para veiculação das obras na TV fechada

Setembro de 2018 – O canal Prime Box Brazil premia o melhor longa-metragem da Mostra Caleidoscópio, dedicada ao cinema de invenção, e o melhor curta-metragem da Mostra Brasília na 51ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. O prêmio dará direito a contrato de licenciamento de dois anos no valor de R$ 15 mil e R$ 4 mil, respectivamente, para veiculação das obras na programação do canal. O evento acontecerá de 14 a 23 de setembro e os vencedores serão conhecidos no último dia.

 

A Mostra Caleidoscópio faz parte da categoria Júri Especial e trazem a participação de três jurados reconhecidos na indústria do audiovisual brasileira e internacional. Tratam-se de Ansgar Vogt, que atua no comitê de seleção da mostra Fórum do Festival de Berlim, na Alemanha; Felipe Aljures, cineasta, gestor cultural e diretor artístico do Festival Internacional de Cinema de Cartagena, na Colômbia; e Rafael Parrode, crítico de cinema e curador do Fronteira Festival de Goiânia. A lista de selecionados nas duas competições segue abaixo.

 

Para Ramiro Azevedo, coordenador-geral do Prime Box Brazil, que exibe exclusivamente conteúdo nacional e investe na produção de novas obras, a relevância dos dois prêmios está no público final. “Boa parte dessas produções acabam restritas a festivais e salas de cinema limitadas. A TV fechada é a janela natural para exibição do conteúdo nacional independente, criando essa conexão com o público. São temas sensíveis e inovadores, que merecem a atenção da sociedade”, comenta.

 

Além da premiação, o executivo participará do Ambiente de Mercado do Festival. Na ocasião, cerca de 20 produtoras de todo o país terão a oportunidade de expor seus projetos para serem comercializados pela TV fechada. No dia 19 de setembro, às 14h, Azevedo participa de debate sobre o Futuro do Mercado de conteúdo e regulação de VOD (Vídeo sob Demanda).

 

Diversidade

Ao celebrar meio século de existência, o Festival promove a inclusão da diversidade em todas as suas formas de expressão na pauta de suas atividades e do debate produtivo do cinema brasileiro. Esse posicionamento se traduz, na prática, nos números registrados com a seleção dos filmes. Dos mais de 120 títulos inscritos, 52,4% da direção é feita por mulheres, 9,5% se inscreveram sob a categoria não-binária (outros) e apenas 38,1% dos selecionados são homens. 

 

A pauta da diversidade é amplamente defendida pelo Prime Box Brazil. Números do levantamento ‘Gênero na direção das obras brasileiras veiculadas na TV Paga – 2017’ apontam que o Prime Box Brazil é o terceiro dentre os 10 canais com mais horas de programação brasileira com direção exclusivamente feminina. O Prime Box Brazil registrou no ano passado média de 29:24 horas semanais de atrações dirigidas por mulheres, o que representa 23% na programação brasileira. A avaliação foi conduzida pelo Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual (OCA) da Agência Nacional de Cinema (Ancine). “Partimos do princípio de estimular o potencial de vozes e pensamentos que contribuam com a produção nacional“, resume Azevedo sobre o desempenho. O tema também é ressaltado na programação do canal com a série ‘Cinema Diversidade’ e o longa documental que está por vir ‘Por Uma Nova História de Cinema’.

 

Lista de longas-metragens selecionados para Mostra Caleidoscópio

– O Pequeno Mal, de Lucas Camargo de Barros e Nicolas Thomé Zetune, 70 min, ficção, 16 anos, 2018

– Os Sonâmbulos, de Tiago Mata Machado, 110 min, ficção, 2018

– Calypso, de Rodrigo Lima e Lucas Parente, 61 min, ficção, 14 anos, 2018

– Os Jovens Baumann, de Bruna Carvalho Almeida, 70 min, ficção, 14 anos, 2018

– Inferninho, de Guto Parente e Pedro Diogenes, 82 min, fição, 12 anos, 2018

 

Lista de curtas-metragens selecionados para Mostra Brasília

– A Praga do Cinema Brasileiro, de William Alves e Zefel Coff, 26min, ficção, livre, 2018

– A Roda da Fortuna, de Luciano Porto, 13min, ficção, 10 anos, 2018

– À Tona, de Daniela Conenberg, 14min, documentário, 14 anos, 2018

– Brasilha, de Rafael Morbeck, 3min, ficção, livre, 2018

– Cabeças, de Bruna Carolli, 9min, ficção, livre, 2017

– Casa de Praia, de Duda Affonso, 16min, ficção, livre, 2018

– Entre Parentes, de Tiago de Aragão, 27min, documentário, livre, 2018

– In Memoriam, De Gustavo Fontele Dourado e Thiago Campelo, 24min, ficção, 12 anos, 2018

– Me Deixe Não Ser, de Kleber Macedo, 20min, ficção, 12 anos, 2018

– Monstros, de Douro Moura, 15min, ficção, 12 anos, 2018

– Noroeste, de Lucas Ferreira Gesser, 13min, documentário, 10 anos, 2018

– O Homem Banco, de Cícero Fraga, 11min, ficção, 12 anos, 2017

– O Mistério da Carne, de Rafaela Camelo, 18min, ficção, 16 anos, 2018

– Para Minha Gata Mieze, de Wesley Gondim, 25min, ficção, 16 anos, 2018

– Presos que Menstruam, de Alisson Sbrana, 20min, ficção, 18 anos, 2018

– Riscados pela Memória, de Alex Vidigal, 20min, ficção, 10 anos, 2018

– Sinucada, de Rafael Stadniki Morato, 16min, ficção, 14 anos, 2018

– Terras Brasileiras, de Dulce Queiroz, 29min, documentário, 12 anos, 2017