SPFW N46: highlights dia 4

No quarta dia de São Paulo Fashion Week três marcas do Projeto estufa apresentaram suas coleções. Olha só os principais detalhes!

 

GLORIA COELHO

gloria-coelho

Na coleção de Gloria Coelho a alfaiataria está nos looks mais sequinhos e ajustados, mas também na série de calças bem amplas, de cintura alta, em looks monocromáticos ou bicolores. A única estampa da coleção é um floral no fundo preto, um mix de flores tiradas de duas pinturas que inclusive já serviram de base para uma estampa de uma coleção antiga. Dessa vez, porém, o jeito de usar é mais bucólico, um mix de hippie setentista com referências à estilista britânica Laura Ashley e caubói. 

 

HELENA PONTES (Projeto Estufa)

helena-pontes

A pernambucana Helena Pontes abriu o Projeto Estufa nesta quarta com um desfile chamado Marias, que fala sobre “mulheres pássaros, que estão sempre em movimento e voam para onde elas querem ser”.  Formada em design gráfico, Helena mostrou uma coleção enxuta (no bom sentido) e bem editada, em que deixa claro seu DNA de recortes geométricos em alfaiataria minimalista construída por fibras naturais como linho e 100% algodão. A geometria funciona também para fazer referência às asas dos pássaros, porém de forma sutil e fluída.

 

ÃO (Projeto Estufa)

ao

Com uma coleção chama ‘Azuis’, a marca ÃO da estilista Marina Dalagarrondo parte de algo aparentemente minimalista – a cartela de cores – para o maximalismo dos volumes que alcançam formas radicais. Marina faz um estudo de utilização de grandes quantidades de tecido comprimidos em elástico, cordas e franzidos que reconfiguram a silhueta. 

 

KORSHI 01 (Projeto Estufa)

korshi

A marca de Pedro Korshi e Albner Moreira, a Korshi 01, estreou nesta quarta, no SPFW, como parte da programação do Projeto Estufa. Os estilistas apresentaram uma marca de design contemporâneo com foco na versatilidade. Todas as peças têm mais de uma função. O macacão, por exemplo, vira capa, vestido e casaco. O trench coat tem sete funções.

BEIRA

beira

A coleção da Beira trouxe uma cartela de cores única, amarelada, conseguida por meio do “destingimento” de tecidos de estoque da grife. A partir daí, algumas peças ganharam pintura à mão por cima, o que criou desenhos como o quadriculado de alguns looks. Linho, algodão e seda são os tecidos dos macacões, de vestidos/túnica longos, da camisaria ampla que é um dos destaques da coleção, formando conjuntos lindos para meninos e meninas com calças ou calças e blazers. 

 

LINO VILLAVENTURA

lino-villaventura

A coleção trazido pelo estilista Lino Villaventura para a a passarela são roupas com uma personalidade muito particular, autoral, com peças feitas para ocasiões especiais, com confecção de boa parte da roupa à mão.  As nervuras, os frisos, os plissados e os jacquards dão a textura rica e excêntrica que caracteriza a roupa de Lino, formando muitas vezes um patchwork de trabalhos artesanais com volumes e aspectos diversos.

 

BOBSTORE

bobstore

A Bobstore estreou na passarela do São Paulo Fashion Week inspirada na pintora americana Georgia O’Keeffe. As referências caubói aparecem em camisas com detalhes em couro, calças e saias pespontadas, chapéus típicos e franjas. Acessórios como cintos com fivelas, franjas e bolsinhas estilo coldre penduradas ganharam destaque.

 

FOTOS e informações: SPFW / AGÊNCIA FOTO SITE / Folha de S.Paulo